27 de outubro de 2012

O Sol é Generoso



Não diga que não sabia: a escolha foi sua.
Não acuse quem não fez nada, questione
o que você já fez.
Não aponte o dedo para ninguém,
antes volte-se para você.
Não sente na calçada e não espere o trem passar,
melhor caminhar sem medo, para chegar à algum lugar.

Um novo dia chegou, eis a porta!
O sol se revela em mil luzes, mostrando ao homem,
que é preciso ser generoso, não escolher ninguém,
ser parte do todo, ser todo para alguém.

Olhe para o mundo, e veja em cada pessoa,
um espelho onde os rostos se parecem,
são sonhos como o seu, desejos que se repetem,
somos todos iguais, ainda que tão diferentes.
Pode ser que nesta tarde os anjos passem por aqui,
derramem bençãos sem medidas sobre nós,
sobre aqueles que não esperam, fazem,
sobre os que não pedem, esperam,
sabem que são merecedores.

Eis o dia, eis a vida,
asas de anjos que pousam sobre você.
Feliz de quem sabe ver e agradecer.
Hoje é o seu melhor tempo,
tempo de ressurgir, crescer,
no amor, na esperança e no ter.
Seja feliz!


Autor: Paulo Roberto Gaefke

Image and video hosting by TinyPic

Image and video hosting by TinyPic

23 de outubro de 2012

Pelo Fim da Impunidade!


Em junho de 2012, a nova proposta de Código Penal foi entregue no Senado. Para que ele seja adotado no país, o anteprojeto elaborado pela comissão de juristas precisa ser analisado e votado pelos senadores e, depois, pela Câmara dos Deputados.
Esse é o momento, aliás, para se promover ajustes no texto, de modo que tenhamos um Código realmente atualizado aos nossos tempos.

Como é a lei em outros países? E no Brasil?
Na Itália, a pena mínima para homicídio não pode ser inferior a 25 anos de prisão.
Em Portugal e na Argentina, o limite mínimo de reclusão para homicídios é de oito anos.
Atualmente, a pena para homicídio simples no Brasil é de seis a 20 anos de reclusão – mesmo limite previsto quando da criação do Código Penal em 1940.
Não há como comparar a criminalidade cometida nos anos 40 com o que ocorre hoje.
Mais de 100 mil homicídios ocorrem todos os anos no Brasil. A pena máxima fixada pelo Código Penal é de 30 anos, não importando a gravidade ou a quantidade de crimes cometidos.
Esse limite não considera se a condenação é única ou se é resultado de vários processos.
Nos anos 40, quando o Código foi criado, a expectativa de vida no país era de 45,5 anos.
Desse modo, 30 anos poderia ser visto como uma condenação de caráter perpétuo.
Com o aumento da expectativa de vida para 71,1 anos, a reclusão máxima de 30 anos não representa mais o mesmo patamar de antes.
No Brasil, o tempo de pena cumprido efetivamente nos presídios é desproporcional com o total da pena aplicada, basta um simples atestado, assinado pelo diretor do presídio, para que um preso passe para um regime prisional menos restritivo.
O que vale é somente o cumprimento às regras carcerárias, o que é algo muito frágil.
É preciso uma análise mais profunda sobre a conveniência de transferência para um regime menos grave, o que só pode ocorrer a partir de um diagnóstico completo do perfil dessa pessoa.

Daí a criação da campanha Pelo Fim da Impunidade, que pretender chamar a atenção da sociedade brasileira para possamos, de fato, vivermos em um país mais justo e fraterno. Um país em que as famílias possam viver em paz e se transformem realmente no espaço privilegiado para a formação da cidadania e do cidadão.
A campanha não quer, de forma alguma, vingança contra quem tenha cometido algum ato violento ou criminoso. Pelo Fim da Impunidade quer que a justiça, a paz e os direitos humanos prevaleçam no dia a dia para todas as pessoas.

Apesar de reconhecer avanços no anteprojeto do Código Penal que está no Senado, a proposta – se for votada e aprovada do jeito que está – ficará muito aquém do que se quer para a construção de uma sociedade justa. Temos de sensibilizar os senadores e os deputados federais para que sejam incorporadas medidas voltadas a combater, efetivamente, a criminalidade e a impunidade, já que o texto atual é um tanto quanto tímido no que se refere a esse assunto. Temos de valorizar a vida e lutar contra a injustiça.
Esse é o primeiro passo para que possamos pensar em um Brasil que queremos desenvolvidos e pronto para assumir seu papel no cenário mundial.
Um país em que a cidadania seja exercida de forma ativa e plena pela população. Uma nação em que os direitos das pessoas sejam respeitados.
Isso só depende de cada um de nós.
Participe você também dessa campanha, que é nossa.

Assine o documento, compartilhe-o em suas redes sociais e nos ajude a coletar mais assinaturas.
Lembre-se: essa luta é de todos nós!
Pelo fim da impunidade, já!

Esse texto foi retirado do site:
http://www.pelofimdaimpunidade.com.br


Banner Quadrado Pelo Fim da Impunidade

13 de outubro de 2012

O Luto e as Tintas


O que foi dito, foi dito e ponto final.
O que foi feito, está feito e não tem jeito.
O que passou, passou e não volta mais.
Tudo tão simples não é?
Não! Não é.

Para quem vive uma situação de arrependimento,
para quem está passando por uma dor profunda
causada por uma perda, nada é simples, nada é claro.

Por isso, quando quiser ajudar,
ou sair de uma fase assim, viva o seu luto.
Ou seja, chore, arranque os cabelos, xingue,
grite, proteste, fique sem comer, desabafe,
mas faça tudo com emoção verdadeira, com
lágrimas de sangue, sem dó de ninguém, nem de você.

O único cuidado que você deverá tomar é com o tempo.
O seu luto não deve passar de 7 dias.
Não estou falando de esquecimento.
Certas pessoas e fatos não devemos esquecer.
Estou falando da intensidade da dor.

Eu te garanto que tem gente de luto a mais de 10 anos.
Tem gente que já nasceu de luto.
Tem gente que você olha para a cara e vê o luto.
Outras que só se aproximam para deixar você de luto.

Não se prenda ao passado que não volta!
No arrependimento que não conserta,
na esperança vazia do que não vai acontecer.

Pegue a sua malinha de dores e jogue no rio
(com uma pedra pesada dentro).
O que resta para nós todos os dias,
é apenas o dia de hoje.

Pegue o seu dia e construa o seu futuro agora.
Ele vai ter a cor, o sabor e as alegrias
que você desejar já.

Qual será a cor da sua vida amanhã?
É só olhar para as cores que você está pintando hoje.
Espero que seja com aquarela amarela,
cheia de cores lindas.
Porque cinza já basta a minha meia antiga...
Viva o seu dia! Viva você!

Autor: Paulo Roberto Gaefke
www.meuanjo.com.br


Image and video hosting by TinyPic

Image and video hosting by TinyPic

4 de outubro de 2012

Plenitude do Tempo


Aprende com as horas que regulam o seu tempo,
que a vida é puro ensinamento.
Cada dor, cada vitória e cada derrota,
carregam em si mesmos,
sementes do amadurecimento.
Nada é em vão.
Não existe esse "acaso"
que muitos afirmam existir.
Pois antes mesmo do seu agir,
houve um pensamento a te dirigir.
Aprende com o tempo que já passou,
que a vida é sementeira aberta.
Recebe todos os tipos de cultivo.
Podemos plantar o ódio ou semear o amor.
Podemos plantar esperanças ou viver a dor.
Podemos plantar sonhos, ou sofrer com o desamor.
Podemos abrir ou fechar portas,
seguir esta ou aquela rota.
Se perder e se achar mil vezes.
Ainda assim, com tudo o que você já viveu,
por mais que pareça muito tempo, muita dor,
muita angústia, muito sofrimento.
Ainda assim, é o "nada ao quadrado"
diante da eternidade.
Por isso, não se demore na dor.
Aprende finalmente que tudo se transforma quando
nos transformamos em algo melhor.
Quando nos aceitamos, nos valorizamos.
Quando finalmente aprendemos que podemos
sempre um pouco mais.
E hoje, eu lhe digo com certeza:
- Você pode muito mais!
Acredite em você, na sua capacidade infinita
de amar e ser amado(a).
Porque está noite, ainda que tardia,
é sempre tempo de se preparar para a plenitude.
Não existe tempo e nem idade,
apenas a realização e a felicidade.

Autor: Paulo Roberto Gaefke
www.meuanjo.com.br

Image and video hosting by TinyPic

Image and video hosting by TinyPic