21 de abril de 2012

Reverência ao Destino

Image and video hosting by TinyPic

Falar é completamente fácil, quando se tem palavras
em mente que expressem sua opinião.
Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente
queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a
pessoa se vá.

Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas
pelas circunstâncias.
Difícil é encontrar e refletir sobre os seus erros,
ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado.

Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém,
dizer o que ele deseja ouvir.
Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre
a verdade quando for preciso.
E com confiança no que diz.

Fácil é analisar a situação alheia e poder
aconselhar sobre esta situação.
Difícil é vivenciar esta situação e saber
o que fazer ou ter coragem pra fazer.

Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando
algo o deixa irritado.
Difícil é expressar o seu amor a alguém que
realmente te conhece, te respeita e te entende.
E é assim que perdemos pessoas especiais.

Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar.
Difícil é mentir para o nosso coração.

Fácil é ver o que queremos enxergar.
Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto.
Admitir que nos deixamos levar, mais uma vez, isso é difícil.

Fácil é dizer "oi" ou "como vai?"
Difícil é dizer "adeus", principalmente quando somos
culpados pela partida de alguém de nossas vidas...

Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados.
Difícil é sentir a energia que é transmitida.
Aquela que toma conta do corpo como uma corrente
elétrica quando tocamos a pessoa certa.

Fácil é querer ser amado.
Difícil é amar completamente só.
Amar de verdade, sem ter medo de viver,
sem ter medo do depois.
Amar e se entregar, e aprender a dar valor
somente a quem te ama.

Fácil é ouvir a música que toca.
Difícil é ouvir a sua consciência, acenando o tempo todo,
mostrando nossas escolhas erradas.

Fácil é ditar regras.
Difícil é seguí-las.
Ter a noção exata de nossas próprias vidas,
ao invés de ter noção das vidas dos outros.

Fácil é perguntar o que deseja saber.
Difícil é estar preparado para escutar
esta resposta ou querer entender a resposta.

Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade.
Difícil é sorrir com vontade de chorar ou
chorar de rir, de alegria.

Fácil é dar um beijo.
Difícil é entregar a alma, sinceramente, por inteiro.

Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida.
Difícil é entender que pouquíssimas delas vão
te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro.

Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica.
Difícil é ocupar o coração de alguém, saber que
se é realmente amado.

Fácil é sonhar todas as noites.
Difícil é lutar por um sonho.

Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo,
mas com tamanha intensidade, que se petrifica,
e nenhuma força jamais o resgata.

Autor: Carlos Drummond de Andrade

Image and video hosting by TinyPic


Image and video hosting by TinyPic

18 de abril de 2012

Jamie Salmon e Jackie Seo - Escultures Super Realistas

Image and video hosting by TinyPic

Escultores Super Realistas Jamie Salmon e Jackie K. Seo

Dois escultores, que moram em Vancouver e que trabalham
com fibra de silicone, fibra de vidro, acrílico e cabelo humano,
para criarem esculturas fotorealistas.
Jamie Salmon, é britânico e diz que gosta de usar a forma
humana como uma maneira de explorar a natureza do que
consideram ser o real.
E Jackie K. Seo é uma coreana, que também vive em
Vancouver, e que gosta de fazer suas esculturas capturando
os momentos de reflexão do homem.
Eles trabalham juntos, mas têm seus trabalhos individuais,
são super escultures, que tentam captar a alma humana.

Image and video hosting by TinyPic

Image and video hosting by TinyPic

Image and video hosting by TinyPic

Image and video hosting by TinyPic

15 de abril de 2012

Nossa Coinsciência

Image and video hosting by TinyPic

O seu amigo íntimo é a sua consciência.
O seu júri, é a sua consciência.
O espelho da sua alma, é a sua consciência.

Podemos representar qualquer papel na vida.
Para um ou para muitas pessoas.
Podemos ser o bonzinho, o feliz, o zangado,
o que não leva desaforos para casa,
o que não derrama lágrimas, o que não dá o braço a torcer.
Mas, na hora em que nos despimos de nós mesmos.
Quando deitamos a cabeça no travesseiro,
quando deixamos os pensamentos tomarem conta do
nosso "eu", vem aquela verdade que nem sempre é dita.
A realidade que as vezes tentamos esconder...

E por vezes, há noites em que molhamos o travesseiro
com grossas lágrimas da nossa solidão.
Com mágoas reprimidas, desilusões mal digeridas,
separações que não aceitamos até hoje.
A ausência de um ente querido, a falta de uma
palavra de doçura dos pais, um pequeno gesto de
reconhecimento de quem tanto amamos.

Não porque vivemos esperando reconhecimentos,
não é porque buscamos aplausos, nada disso.
É pela simples troca de energias do amor.
Damos amor, queremos receber o amor...

Então, no nosso Tribunal interior, as vezes nos
massacramos, nos inferiorizamos, e por isso,
durante o dia, ficamos calados demais, ou damos
"patadas" a "torto e a direita", distribuímos o
nosso mau-humor, não fechamos com ninguém,
e assim, sofremos...

Mas, eis que a Boa Nova, a alegria, vem trazendo pela
mão um alento, e vem em forma de doce pensamento.
É quando nos reconhecemos merecedores das conquistas
que provocamos. Quando nos lembramos do tanto que
já trabalhamos.

Quando finalmente nos aceitamos do jeito que somos,
e percebemos que temos qualidades.
Que podemos amar tantas vezes quantas forem possíveis.
E que a vida é tão bonita, que podemos enxugar ás lágrimas,
secar o pranto e ficarmos prontos para a Felicidade,
que insiste em bater a nossa porta, todos os dias.

Hoje não é mais tempo de chorar. É tempo de amar!
De se descobrir e se revelar. Tempo de ser mais você.

Autor: Paulo Roberto Gaefke
www.meuanjo.com.br

Image and video hosting by TinyPic


Image and video hosting by TinyPic

11 de abril de 2012

Nossos Contrários

Image and video hosting by TinyPic

Quando a serenidade se vai,
o desespero toma conta.
Quando a paciência deixa de existir,
a ira se torna conselheira.
Quando o amor não resiste,
o ódio se instala, seca a alma.
Quando a gentileza não aparece,
as disputas se fortalecem.
Quando todos querem ter razão,
a guerra é a única saída.
Quando a preguiça é mais forte,
o trabalho se perde.
Quando a boca se abre para reclamar,
deixamos de fazer o que deve ser feito.

Contrários que convivem em nós,
somos da paz, mas brigamos por nada,
somos da justiça, e enforcamos alguns deveres,
somos da fraternidade do amor,
e por vezes desprezamos nossos semelhantes,
somos luz, e muitas vezes andamos nas trevas.

Queremos tanto a felicidade,
que as vezes causamos a infelicidade de outros.
Sonhamos com o relacionamento perfeito,
e brigamos por quase nada...

Nossos contrários nos aproximam do que
precisamos transformar, é o nosso espelho
da alma mostrando o que precisamos melhorar.
Infelizmente, nosso orgulho às vezes nos cega,
e o que pensamos ser uma qualidade, é o nosso
maior defeito, é o que nos impede de caminhar,
de prosperar e de conquistar.

Não tenha medo de mudar!
Comece pelo mais simples; sorria mais,
aborreça-se menos, contente-se com o que
lhe chega ás mãos, agradeça mais.
Não leve nem a vida, nem as pessoas tão a
sério, apenas faça bem feito, para ter a
consciência tranquila de ter dado o seu melhor.

Autor: Paulo Roberto Gaefke
www.meuanjo.com.br

Image and video hosting by TinyPic


Image and video hosting by TinyPic

1 de abril de 2012

A Sabedoria Inocente de Uma Criança

Image and video hosting by TinyPic

- Relâmpago é um barulho rabiscando o céu.

- Palhaço é um homem todo pintado de piadas.

- Sono é saudade de dormir.

- Arco-íris é uma ponte de vento.

- Deserto é uma floresta sem árvores.

- Felicidade é uma palavra que tem música.

- Vento é ar com muita pressa.

- Esperança é um pedaço da gente que sabe que vai dar certo.

- Alegria é um palhacinho no coração da gente.

www.osvigaristas.com.br

Image and video hosting by TinyPic


Image and video hosting by TinyPic